Amazonas

Ampliar Bandeira

Dados Gerais

História

Quadro Físico

Economia

Hino





















Dados Gerais - Amazonas  volta ao início


UF: AM      Capital: Manaus

Gentílico: Amazonense

Região: Norte

Latitude(da capital): -03º 06' 07"

Longitude(da capital): -60º 01' 30"

Número de Municípios: 102

Domicílios particulares permanentes ocupados: 570.562

Área total absoluta(Km2): 1.570.745,680

População total: 2.812.557

      Homens: 1.414.367  Mulheres: 1.398.190
      Urbana: 2.107.222  Rural: 705.335

Segundo Alfabetização(maiores de 4 anos)

      Alfabetizados: 1.745.162         
      Não Alfabetizados: 314.164         

Densidade Demográfica(Hab/Km2): 1,79

PIB(R$ milhão): 1.703

Cor ou raça (em %):

      Preta: 3,1  Branca: 24,2
      Parda: 66,9  Amarela/Indígena: 4,4

Rendimento das pessoas de 10 ou mais anos por sexo em Reais

      Homens: 589,04         
      Mulheres: 431,46         


volta ao início




















História - Amazonas  volta ao início

Até a metade do século XVIII, praticamente toda a Amazônia pertencia à Coroa espanhola. Apenas alguns aventureiros, em longas expedições, exploraram a região, sem desenvolver nenhuma atividade econômica significativa. Com a assinatura do Tratado de Madri, em 1750, a região passou ao domínio português.

Em 1757, foi criada a capitania de São José do Rio Negro. Após a independência do Brasil, em 1822, a capitania foi integrada à província do Grão-Pará. Dez anos depois, foi criada a província do Amazonas, com capital na cidade de Manaus.

A economia amazonense foi estimulada pelo ciclo da borracha, no final do século XIX. Esse produto propiciou um desenvolvimento acelerado entre 1890 e 1910, atraindo milhares de migrantes, vindos principalmente do Nordeste do país. A população aumentou de 57 mil para 1,4 milhão de habitantes em apenas cinqüenta anos.

Nessa época, Manaus apresentou grande prosperidade, sendo chamada de “Paris dos Trópicos”. A cidade e todo o estado enfrentaram, a partir da década de 1910, grave crise econômica, devido a uma queda na produção de borracha. Apenas na segunda metade do século XX (anos 1960), o Amazonas conseguiu sair da estagnação econômica, graças à construção da rodovia Belém-Brasília e à criação do Pólo Industrial de Manaus (antiga Zona Franca de Manaus), dedicada à produção de eletroeletrônicos. Além disso, incrementou-se o turismo na região.

No final da década de 1980, o Pólo Industrial de Manaus entrou em declínio. Desde o início do século XXI, o Amazonas tem sido alvo de uma série de projetos que visam à defesa da fronteira norte do Brasil.



volta ao início




















Quadro Físico - Amazonas  volta ao início

Relevo

O relevo do estado é dominado por depressões, como a Depressão Norte-amazônica e a Depressão da Amazônia Ocidental. A Planície do Rio Amazonas estende-se ao longo de seu curso e dos seus principais afluentes. O pico da Neblina, o ponto mais alto do Brasil, com 3 014 m de altitude, localiza-se no Amazonas.

Hidrografia

Os rios do estado pertencem à Bacia Hidrográfica do Rio Amazonas. Entre os principais, destacam-se o Solimões, o Amazonas, o Juruá, o Purus, o Negro, o Içá e o Japurá.

Clima

O clima do Amazonas é equatorial úmido. A temperatura média oscila entre 22ºC e 28ºC, e a precipitação média anual varia entre 1 500 mm e 3 000 mm.

Vegetação

A Floresta Amazônica recobre quase todo o estado, que também apresenta pequenas manchas de campos e cerrados.



volta ao início




















Economia - Amazonas  volta ao início

Economia

Entre as atividades econômicas, destacam-se a extração de madeira e a indústria de eletroeletrônicos, que se concentra no Pólo Industrial de Manaus.

Agricultura

Entre os produtos agrícolas cultivados no Amazonas, destacam-se a mandioca (1 milhão de toneladas), a cana-de-açúcar (243 mil toneladas), a malva (7,5 mil toneladas), a juta (mil toneladas), a laranja (123 milhões de frutos) e a banana (48 milhões de cachos).

Pecuária

A criação de aves soma 2,7 milhões de galináceos. O rebanho bovino totaliza 830 mil cabeças, e o suíno, 284 mil.

Extrativismo

Neste setor econômico, o Amazonas se destaca na produção de gás natural, petróleo e estanho-cassiterita, além de castanha-do-pará, borracha, piaçava e madeira.

Indústria

No Pólo Industrial de Manaus, têm destaque a produção de eletroeletrônicos, a indústria mecânica e a de transporte.

Turismo

Manaus atrai um número significativo de turistas graças ao seu patrimônio histórico. Além disso, a capital amazonense serve como ponto de partida para uma série de rotas pela selva amazônica, geralmente feitas por turistas estrangeiros e percorridas de barco. Há importantes redes de hotéis internacionais que se instalaram na Amazônia a fim de desenvolver o ecoturismo.

Transportes

O transporte fluvial é de vital importância no Amazonas, proporcionalmente um dos estados menos servidos de estradas no país: são 6,2 mil quilômetros no total, com pavimentação em apenas 1,7 mil.



volta ao início




















Hino - Amazonas  volta ao início


Nas paragens da história o passado
É de garra, pesar e alegria
É vitória pousando suas asas
Sobre o verde da paz que nos guia.
Assim foi que nos tempos escuros
Da conquista apoiada ao canhão
Nossos povos plantaram seu berço
Homens livres na planta do chão.

estribilho

Amazonas e bravos que doam,
Sem orgulho, sem falsa nobreza
Aos que sonham seu canto de lenda
Aos que lutam mais vida e riqueza.

Hoje o tempo se faz claridade
Só triunfa a esperança que luta
Não há mais o mistério das matas
Um rumor de alvorada se escuta.

A palavra em ação se transforma
E a bandeira que nasce do povo
Liberdade há de ter no seu pano
Os grilhões destruídos de novo.

estribilho

Tão radioso amanhece o futuro
Nestes rios de pranto selvagem
Que os tambores da glória já despertam
Ao clarão de uma eterna paisagem.

Mas viver os destinos dos fortes
Nos ensina, lutando a floresta
Pela vida que vibra em seus ramos
Pelas aves, suas cores, suas festas...

estribilho


Jorge Tufic e Herivelton Almeida

volta ao início